Vai viajar de avião nessas férias.

O ar do avião é bastante seco, por isso é muito importante procurar hidratar o rosto, lábios e mãos antes da decolagem.

Quanto a viagens longas (mais de 6 horas), borrife água termal no rosto, por várias vezes, isso ajuda a manter a pele hidratada contra o ar seco dentro da aeronave. Não se esqueça de retirar a maquiagem durante o voo, antes de dormir e procure descansar o máximo possível, para evitar a aparência do jet lag, tão comum em percursos longos. Quando estiver a uma hora do seu destino, higienize novamente a pele, hidrate e aí sim os creams e maquiagens são bem-vindos. E é importante lembrar de beber muita água. O ideal é tomar uma garrafinha por hora no avião.

GLICAÇÃO E OS MALES DO AÇÚCAR PARA A PELE.

Se você nunca ouviu falar de glicação, chegou a hora! O processo consiste na ligação que ocorre entre carboidratos, como a glicose, e proteínas, como as de sustentação da pele, independente de uma ação enzimática. Quando isso acontece, essas proteínas são modificadas, impedindo que as células desempenhem seus papéis. Quando alguém fala que o açúcar faz mal para a pele, é exatamente desse processo que se refere.

A reação causa danos às fibras elásticas e de colágeno, acelerando o envelhecimento da pele, causando perda de elasticidade e tonicidade. Mas, não se desespere! Existem diversas maneiras de driblar o problema, seja diminuindo o consumo de açúcar branco e o substituindo por opções mais saudáveis – como adoçantes naturais (Stevia e Xylitol) – ou utilizando dermocosméticos, feitos especialmente para combater os efeitos do açúcar na pele. Hoje em dia, vários protetores solares contêm ação antioxidante e antiglicante.

Além de fazer mal para a pele, o consumo de açúcar também pode causar problemas, como a diabetes e obesidade. Para quem adora comidas doces, atenção redobrada para não acabar ingerindo mais do que deve! A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, em 2016, que o ideal era que o consumo diário de açúcar não ultrapassasse 50g. Em 2015, essa quantidade foi reduzida para 25g, que corresponde a seis colheres de chá de açúcar por dia. De acordo com a OMS, fazer com que 10% das calorias diárias sejam do açúcar é o mínimo para beneficiar a saúde. A redução dessa porcentagem para 5% proporciona efeitos positivos adicionais.

COMO AVALIAR SE DEVO REALIZAR ALGUM PROCEDIMENTO?

Beleza e naturalidade nem sempre andaram de mãos dadas. Ao longo dos anos, a evolução das técnicas na medicina tem permitido que um novo conceito ganhe espaço: estar naturalmente bonito (a) ou, pelo menos, passar tal imagem. Sabe aquela barba por fazer que, na verdade, levou horas para ser delimitada? E aquele cabelo de aspecto desarrumado que precisou de pomada para ficar assim?

Vamos além: um preenchimento feito exatamente no ponto específico de seu rosto que, nem de longe, parece ter sido realizado. Uma aplicação de toxina botulínica que te deixa alguns anos mais jovem, só que não pode ser percebido. Para garantir naturalidade dos resultados e preservar a harmonia facial, as tendências de rejuvenescimento facial, atualmente, buscam uma avaliação integral.

Uma recomendação cai bem para todos: previnam-se! De resto, como o envelhecimento é um processo que atinge a todas as pessoas, mas a cada uma de forma diferente, a individualidade, traços e particularidades de cada paciente são os pontos de partida para um tratamento personalizado. Nessa linha, a combinação de técnicas veio para ficar. Buscamos procedimentos mais adequados para as queixas e perfil de cada pessoa.

Beleza e saúde interferem no bem-estar, então, lembre-se que é possível se planejar e buscar benefícios que vão muito além de sua imagem. Ficou curiosa(o)? Anote aí os primeiros passos para o planejamento de sua beleza:

 

1º Passo: agende sua consulta com um(a) MÉDICO (A) dermatologista. pois somente ele poderá avaliar quanto e como as ações de fatores genéticos, exposição ao sol e poluição, alimentação e outros interferiram em sua pele.

 

2º Passo: tenha sua dermatologista como uma parceira, confie nela e conversem sobre medos, prioridades e anseios. Assim, ela saberá exatamente o que é mais indicado para você, desde questões mais simples, como qual protetor solar escolher, até se há necessidade de realizar um procedimento.

 

3º passo: estabeleça com ela uma rotina de prevenção e cuidados. Lembre-se que as necessidades de sua pele mudam com sua faixa etária e, por isso, devem ser avaliadas regularmente.

Vitiligo

O que é?

Doença de causa desconhecida, o vitiligo caracteriza-se pela presença de manchas acrônicas (sem pigmentação) na pele. As lesões formam-se devido à diminuição ou ausência de melanócitos (células responsáveis pela formação do pigmento melanina, que dá cor à pele) nos locais afetados.

A causa disto ainda não está clara, mas fenômenos autoimunes parecem estar associados ao vitiligo. Além disso, é comum a correlação com alterações ou traumas emocionais que poderiam atuar como fatores de desencadeamento ou agravação da doença.

Manifestações clínicas do vitiligo

As manchas típicas do vitiligo são brancas, com total ausência de pigmento. Têm limites bem definidos e podem apresentar um fino halo de pele mais escura ao seu redor. As lesões não apresentam quaisquer sintomas.

O vitiligo costuma atingir principalmente a face, extremidades dos membros, genitais, cotovelos e joelhos, mas pode chegar a acometer quase toda a pele. Quando atinge áreas pilosas, os pelos ficam brancos.

O vitiligo tem curso crônico. Não há como prever a evolução da doença, que pode permanecer estável durante anos, voltar a se desenvolver ou regredir espontaneamente. Em um mesmo paciente podem ocorrer simultaneamente a regressão de algumas lesões enquanto outras se desenvolvem.

Uma característica da doença é que ferimentos na pele podem dar origem a novas lesões.

Apesar do vitiligo não causar nenhum prejuízo à saúde física, as alterações estéticas muitas vezes causam distúrbios psicológicos que podem prejudicar o convívio social. O grau de comprometimento emocional pode acabar interferindo negativamente na evolução da doença. Quando necessário, o acompanhamento psicológico dos pacientes em tratamento pode ser fundamental para um bom resultado.

Tratamento

O vitiligo se apresenta de forma e intensidade variada em cada paciente, portanto, o tratamento indicado pelo dermatologista deve ser individualizado, de acordo com cada caso.

Medicamentos que exercem ótimos resultados em alguns pacientes podem não ter efeito algum em outros. Muitas vezes, os resultados parecem estar mais relacionados ao paciente tratado do que ao tratamento em si.

As medicações visam corrigir as alterações imunes responsáveis pelo processo de despigmentação ou estimular os melanócitos presentes nas lesões a produzirem a melanina.

A repigmentação das lesões se dá a partir dos folículos pilosos, formando-se pontilhado pigmentar dentro das manchas. Estes pontos aumentam progressivamente coalescendo para fechar a lesão

Com o alargamento dos pontos pigmentados, estes começam a se unir e acabam por fechar as áreas sem pigmentação entre eles, repigmentando as manchas progressivamente, o que pode levar ao seu desaparecimento completo.

Nos casos de vitiligo estável (quando não surgem novas lesões e as existentes não aumentam de tamanho), algumas técnicas cirúrgicas promovem a transferência de melanócitos obtidos em áreas de pele saudável para a área afetada. Uma vez incorporados ao tecido estes iniciam a produção de melanina repigmentando a lesão.

O vitiligo é uma doença que tem tratamento, mas este é demorado e exige paciência. No caso das crianças, é importante que os pais tentem se controlar para não transmitir sua ansiedade para elas, fazendo-as pensar que sofrem de uma doença grave, o que só trará dificuldades ao tratamento. É importante lembrar que o vitiligo não traz nenhuma alteração de saúde apesar do grande distúrbio estético.

 

 

Quais os tratamentos para queloide?

O que é queloide?

Queloides são lesões salientes que sofreram com uma produção exagerada de colágeno. Geralmente são avermelhadas, escuras ou rosadas, e podem ocorrer em qualquer área de traumatismo na pele. O queloide não é maligno, tratando-se mais de um problema estético do que um problema de saúde.

Como surgem os queloides?

Como já dissemos anteriormente, o queloide é uma proliferação fibrosa que ocorre após traumas como marcas de cirurgias, queimaduras ou ferimentos. Em alguns casos, pode apresentar coceira ou dor e endurecimento da região. Pessoas de pele morena e negra apresentam maior probabilidade de terem queloides, além de pessoas com predisposição genética. Para amenizar a manifestação dessas lesões é muito importante que o paciente, quando for submetido a algum procedimento cirúrgico, avise ao médico caso exista histórico familiar. Não é possível prever se o paciente irá apresentar o quadro, porém o dermatologista pode tomar algumas medidas necessárias para diminuir o risco da lesão, como iniciar um tratamento em até 24h após a cirurgia.

Quais os tratamentos para queloide?

O queloide é um tipo de cicatriz que pode causar muito desconforto estético ao paciente. Porém, se o tratamento for realizado corretamente, as lesões podem até sumir ou tornar-se imperceptíveis. Conheça alguns tratamentos:

Pomadas: o uso de algumas pomadas ajuda a diminuir e clarear os queloides.

Injeções de corticoides: são aplicadas no tecido da cicatriz para reduzir a inflamação local, fazendo com que ela fique mais plana.

Peeling: consiste na aplicação de uma solução química que esfolia a região e promove a regeneração das camadas da pele, clareando o queloide.

Laser: esse tipo de tratamento possui eficácia no clareamento e diminuição do queloide. O laser age por toda a cicatriz, removendo as camadas mais afetadas e promovendo a produção de colágeno, o que, consequentemente, faz com que se desenvolvam camadas mais naturais da pele.

Também podem ser administradas injeções de corticoides que ajudam a amenizar os queloides.